Antes de Começar

Share

Antes de Começar a Viagem…

A MUBi considera fundamental para a segurança do utilizador e para a segurança de todos os outros utentes que circulam na via pública que todos os condutores de bicicleta ou futuros condutores conheçam e respeitem o código da estrada.
As recomendações feitas abaixo devem ser tidas em conta essencialmente para quem tem uma bicicleta em casa há muito tempo parada, e está a pensar voltar à estrada com ela. No entanto alguns conselhos também são úteis para quem já utiliza este meio de transporte e também para quem se queira lembrar dos pontos essenciais antes de começar a viagem.

Condição Física e Psicológica

  • Dada a natureza do veiculo, este é um meio de transporte que obriga que o utilizador esteja permanentemente em equilíbrio durante a sua deslocação. Apesar de não ser necessário ter a carta de condução para conduzir este veiculo devemos-nos lembrar que a ingestão de substâncias alcoólicas e/ou psicotrópicas ou outras que ponham em causa o equilíbrio, os reflexos ou a capacidade física do utilizador devem ser evitadas.
  • O utilizador deve lembrar-se que a utilização de uma bicicleta não motorizada pressupõe a utilização de esforço físico do próprio utilizador para que este se possa deslocar. Como tal recomendamos que se está a utilizar este meio de transporte pela primeira vez esteja atento a tonturas, calafrios ou outros sinais de cansaço. No caso de tonturas, pare imediatamente e procure estar deitado, preferencialmente fora da faixa de rodagem. Esta medida é fundamental para evitar a perda súbita de consciência e/ou desmaios.
  • Ao se aproximar do seu destino procure reduzir o seu ritmo cardíaco de forma gradual antes de desmontar da bicicleta reduzindo a velocidade e/ou o esforço. Fazer paragens bruscas após esforços físicos intensos pode naturalmente provocar tonturas e/ou desmaios.

Bicicleta em bom estado

A bicicleta é um veiculo que tal como o automóvel carece de alguma manutenção. Não é necessário verificar todos os dias os pontos que a seguir se descrevem, mas é importante zelar pelo seu bom estado. Se preferir, dirija-se a uma oficina (ou loja) de bicicletas a fim de realizar estas manutenções. O nível de manutenção deve ser adequado consoante o seu nível de utilização da bicicleta, utilizações mais agressivas ou mais intensivas da bicicleta requerem maiores cuidados por parte dos seus utilizadores. Recomenda-se um mínimo de 1 revisão por ano aos seguintes pontos:

  • Os pneus – Para circular na via pública é essencial ter uma boa aderência à estrada.
    Os pneus tal como em todos os outros veículos, são a única coisa que estão em contacto com a estrada, e por isso devem apresentar níveis de aderência satisfatórios para que possa travar e circular em segurança. Verifique também a pressão dos pneus e regule-a dentro dos parâmetros de segurança.
  • Travões – Verifique antes de começar a andar se os travões conseguem proporcionar travagens minimamente seguras.
  • O sistema de transmissão e mudanças da bicicleta (quando aplicável) – Verifique se o sistema de transmissão da bicicleta está afinado e em condições de circulação.
    Um sistema de transmissão mal afinado pode provocar quedas por desequilíbrios inesperados e/ou embaraçar transito que circula atrás de si.
  • A barra de direcção – Verifique que o guiador da bicicleta transfere na totalidade a força aplicada no guiador.
    Quando em movimento, a bicicleta pode por força da inércia parar de virar a roda, o que no melhor dos casos pode originar um susto e uma direcção “desalinhada”, e no pior caso um acidente.
  • O selim da bicicleta – Verifique que o poste e o selim da bicicleta se encontram adequadamente apertados.
    Um assento mal apertado pode originar desequilíbrios inesperados.
  • O quadro – Faça uma limpeza regular ao quadro da sua bicicleta. Procure por ferrugens e rachas, principalmente nos pontos de união.
    No caso de ferrugens evite o alastramento com produtos próprios. No caso de rachas pare de circular imediatamente e consulte uma oficina de bicicletas. Este problema pode originar a perda total do quadro por quebra repentina do mesmo e ainda acidentes graves.

Terreno

Adapte o seu percurso à sua bicicleta e à sua capacidade física:

  • Subidas – Tenha especial atenção às subidas muito íngremes que poderá encontrar no seu percurso.
    Lembre-se que a sua velocidade neste tipo de vias pode chegar aos 5-10Km/h. Nestas situações você representa um grande obstáculo para os outros condutores, pois para além de estar a circular à velocidade de um peão, está em desequilíbrio. Nestas situações procure alternativas com subidas menos acentuadas, com menor circulação automóvel, com mais do que uma faixa de circulação, com faixas de circulação mais largas, com bermas generosas ou com passeios. Na impossibilidade de qualquer uma destas alternativas procure não atrapalhar o trânsito, leve a bicicleta à mão, ou vá parando sempre que lhe parecer que existe um automóvel atrás de si com dificuldades em ultrapassar. Lembre-se que, segundo o código da estrada: Sempre que a largura livre da faixa de rodagem, o seu perfil ou o estado de conservação da via não permitam que a ultrapassagem se faça em termos normais com a necessária segurança, os condutores dos veículos de marcha lenta devem reduzir a velocidade e parar, se necessário, para facilitar a ultrapassagem.
  • Distância – Existem bicicletas diferentes para objectivos diferentes.
    Uma “bicicleta de estrada” poderá ser mais útil para percorrer grandes distâncias e uma bicicleta de Trial poderá ser muito útil para fazer algumas acrobacias como descer escadas e navegar por caminhos mais irregulares. Comece por fazer pequenos percursos ao fim de semana e fique a conhecer a bicicleta que possui e quais as distancias que para si são mais confortáveis de realizar.
  • Outros meios de transporte – A bicicleta é um excelente meio de transporte principal, mas também pode ser usado como meio de transporte complementar.
    Assim, é possível em algumas situações combinar a utilização da bicicleta com outros meios de transporte sem qualquer custo adicional como por exemplo carros, autocarros (alguns), metro, comboio, etc. Assim, quando delinear o seu percurso poderá ter em conta horários de outros meios de transporte aumentando assim a capacidade de fazer percursos de bicicleta de grandes distâncias.

Condições Atmosféricas

Adapte a sua bicicleta e o seu vestuário às condições atmosféricas:

  • Temperatura – Tenha atenção à temperatura atmosférica, condições de temperatura abaixo dos 7-12ºC são desaconselháveis para a utilização de bicicleta.
    O “Wind Chill” provocado pela deslocação do ar quando se encontra em movimento pode fazer com que a temperatura desça para valores negativos. provocando queimaduras graves ao nível das extremidades mãos/pés/cara). Vista roupa apropriada à temperatura encontrada durante o percurso.
  • Chuva – Para além do impermeável, verifique se tem pneus adequados para circular em piso molhado.
    As tampas, os carris e outros objectos metálicos semelhantes podem provocar acidentes graves, especialmente quando a bicicleta se encontra em trajectória curvilínea. O uso de guarda-lamas faz diminuir a quantidade de chuva que o condutor recebe vinda do pavimento (em circulação) e por isso é também recomendável.
  • Sol – Tenha cuidado com a exposição solar e com os efeitos daí resultantes.
    Por exemplo, insolações que podem levar a tonturas e perdas de consciência e consequentemente a acidentes graves.
  • Vento – O suor em situações de muito vento provoca uma descida de temperatura corporal muito acentuada, por isso, sempre que decidir viajar em condições ventosas equipe-se com um corta-vento ou impermeável. Evite circular em condições muito ventosas.
    O vento lateral pode comprometer severamente o seu equilíbrio e provocar acidentes graves.
  • Noite – Se vai andar de noite em percursos de estrada lembre-se que é importante ver e ser visto.
    Verifique se os reflectores da sua bicicleta se encontram em bom estado (reflector branco à frente(opcional), vermelho atrás, amarelo nos pedais). Para uma boa visibilidade aconselhamos pelo menos o uso de pirilampos (um branco para a frente e um vermelho para a retaguarda) e ainda luvas com reflectores para fazer sinais de mudança de direcção. Para além disso, poderá aumentar a sua visibilidade pela aquisição do seguinte equipamento

    • Equipamento reflector: sapatilhas, camisolas, mochilas, calças/calções, etc.
    • Reflectores laterais para as rodas da bicicleta e/ou pneus com reflectores laterais
    • Luz dianteira de alta luminosidade (imprescindível em percursos nocturnos com iluminação deficiente ou inexistente)